ISSN 2178-4094

Edição n. 1, 2011

• FABIÃO PRETO COURÁ: Sociabilidades e Identidades em Mariana, século XVIII
Fernanda Aparecida Domingos Pinheiro
PALAVRAS-CHAVE: Identidades. Procedência africana. Sociabilidade. Irmandade do Rosário.

• LAÇOS E ENLACES: A família na África de Amkoullel, o menino fula
Allisson Esdras Fernandes de Oliveira, Eumara Maciel dos Santo
PALAVRAS-CHAVE: Literatura malinesa. Cultura. Família malinesa.

• MULHERES RURAIS E LUTAS SOCIAIS NO BRASIL E NA ÁFRICA DO SUL
Viviane de Oliveira Barbosa
PALAVRAS-CHAVE: Mulheres rurais. Lutas Sociais. Maranhão/Kwazulu-Natal.

• O QUE SE QUER COM A DIFERENÇA? Reflexões sobre Educação Escolar Indígena específica, diferenciada e intercultural: o caso Kiriri
José Valdir Jesus de Santana
PALAVRAS-CHAVE: Educação escolar indígena. Interculturalidade. Identidade cultural. Povo indígena Kiriri.

• ESTUDOS ÉTNICOS: Uma aproximação epistemológica
Antonio Evaldo Almeida Barros
PALAVRAS-CHAVE: Estudos Étnicos. Epistemologia. Alteridade. Diferença.

APRESENTAÇÃO

Com muita satisfação, Mujimbo−Revista de Estudos Étnicos e Africanos está lançando seu segundo número, referente ao ano de 2011. A perspectiva é que o periódico, organizado por discentes do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos, contribua para o fortalecimento dos debates acadêmicos voltados ao campo dos estudos étnicos, étnico-raciais, afro-americanos e africanos, e para o fomento do diálogo entre estudantes de diferentes pós no Brasil e mesmo do exterior.
Entre textos de graduandos e pós-graduandos, este número é constituído por quatro artigos e um ensaio. O número contempla pesquisas dentro e fora do Brasil e aborda temas que envolvem desde questões teóricas e epistemológicas a estudos de caso.
O primeiro artigo, de autoria de Fernanda Aparecida Domingos Pinheiro, parte da contribuição dos estudos sobre escravidão no Brasil, dando destaque ao município de Mariana, nas Minas Gerais setecentista. A autora faz uma reconstituição da trajetória do escravizado Fabião Fernandes da Silva, destacando as formas de sociabilidade construídas por ele no interior da Capela Nova do Rosário e dando relevo às suas estratégias de sobrevivência e agência em meio à sociedade colonial.
Analisando a literatura de HampâtéBâ, Allisson Esdras Fernandes de Oliveira e Eumara Maciel dos Santos fazem um passeio sobre a cultura malinesa, destacando as relações de parentesco entre os fula e discutindo a noção de família através dos relatos autobiográficos de Amkoullel, o menino fula.
Viviane de Oliveira Barbosa relaciona experiências de mulheres rurais maranhenses com experiências de mulheres rurais em KwaZulu-Natal. Numa abordagem comparativa, o artigo apresenta reflexões de pesquisa sobre estratégias de mobilização de mulheres rurais no Brasil e na África do Sul e considera as formas de atuação dessas mulheres em contextos e situações de desigualdades sociais, étnico-raciais, e de gênero.
O número traz um artigo que se refere à temática da educação para as relações étnico-raciais. José Valdir Jesus de Santana lança um olhar etnográfico sobre os indígenas Kiriri do estado da Bahia, refletindo acerca das reações e contradições da chamada educação escolar indígena, específica e intercultural, a partir das demandas e experiências daquele grupo.
Por fim, o ensaio de Antonio Evaldo Almeida Barros explora alguns problemas teóricos e epistemológicos relacionados ao campo dos Estudos Étnicos, particularmente, a relação desses estudos com o debate sobre modernidade, pós-modernidade e descolonização do conhecimento, e as relações entre epistemologia e alteridade
Mais uma vez, somos gratos ao Pós-Afro que, através da CAPES, tem apoiado a publicação deste periódico, a UFBA que hospeda o sítio da Mujimbo e a todos os pareceristas que nos brindaram com suas leituras e deram sugestões aos artigos abrigados neste número.

A todos, uma boa leitura!

Salvador, julho de 2011.
Comissão Editorial.