ISSN 2178-4094

Chamada para Publicação

Mujimbo-Revista de Estudos Étnicos e Africanos é uma publicação virtual criada e mantida pelos discentes do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos (Pós-Afro/UFBA). Seu objetivo fundamental é estimular e divulgar a pesquisa e o debate na área dos estudos étnicos, étnico-raciais, afro-americanos e africanos. A Mujimbo-Revista de Estudos Étnicos e Africanos, de periodicidade anual, aceita trabalhos inéditos, em português, inglês, francês ou espanhol, sob a forma de artigos, ensaios, entrevistas, traduções, resenhas, sínteses de pesquisas, e instrumentos de trabalho (informações sobre arquivos, bibliotecas e fontes).

As posições manifestas nas diferentes contribuições publicadas são de exclusiva responsabilidade de seus autores.

Os trabalhos poderão ser enviados em qualquer época do ano, embora 30 de março seja o último dia para envio de material a constar na publicação da edição de 2012.

Os trabalhos recebidos serão apreciados pelo corpo editorial e encaminhados a consultores/pareceristas na área/tema do texto em questão.

Os autores, cuja identificação será preservada aos pareceristas, serão avisados da aceitação ou recusa de seus trabalhos por mensagem eletrônica. Normas para publicação Para fins de padronização gráfica, os trabalhos enviados deverão seguir as normas abaixo especificadas, sob o risco de não serem aceitos. Os trabalhos deverão apresentar-se em padrão Word for Windows ou compatível, em CD ou pelos endereços mujimboposafro@yahoo.com.br e mujimboposafro@ufba.br.

Os artigos ou ensaios devem apresentar no máximo vinte e cinco páginas e no mínimo dez (excetuando-se as referências bibliográficas), as entrevistas e comentários sobre instrumentos de trabalho devem limitar-se a dez páginas, as resenhas devem ter de três a cinco páginas, e as sínteses (de teses e dissertações) podem ter entre três e seis páginas. Todas as propostas deverão ser formatadas com margens 3 cm, Times New Roman 12, e 1,5 entre linhas. O material a ser enviado por e-mail (em documentos anexados em separado) constitui-se de:

1. Texto completo, com identificações do autor.

2. Texto no qual não conste qualquer tipo de informação que possa identificar seu respectivo autor. (Para esta versão, basta, por exemplo, que se faça uma cópia do texto identificado e, em seguida, coloque-se em branco a cor da fonte na qual aparecem identificações do autor)

3. Página com os seguintes dados de identificação: seção para a qual envia o trabalho (artigos, ensaios, resenhas, etc.), título do texto, nome completo do(s) autor(es), instituição a que pertence, titulação, endereço completo, telefone, fax e endereço eletrônico.

Caso o trabalho receba parecer positivo, a comissão editorial da revista entrará em contato com o colaborador/autor, que ao ter enviado material para o periódico automaticamente autoriza a publicação de seu texto sem remuneração. Os textos só deverão ser enviados após uma rigorosa revisão ortográfica dos respectivos autores.

As referências, contendo somente os autores citados no trabalho, deverão ser apresentadas em ordem alfabética ao final do trabalho, de acordo com as normas da ABNT. Ao longo do texto deverá ser usado o sistema de chamada autor-data, como nos exemplos a seguir:

Pelo menos desde Gobineau, o mais explícito teórico da ambivalente teoria racial, proposições sobre “cultura” e “raça” se confundem, “um racismo implícito subjaz às noções ocidentais de cultura. Ele é velado, mas difundido” (YOUNG, 2002, p. 11).

Segundo Young (2002, p. 11), pelo menos desde Gobineau, o mais explícito teórico da ambivalente teoria racial, proposições sobre “cultura” e “raça” se confundem, “um racismo implícito subjaz às noções ocidentais de cultura. Ele é velado, mas difundido”.

Segundo Young, pelo menos desde Gobineau, o mais explícito teórico da ambivalente teoria racial, proposições sobre “cultura” e “raça” se confundem, “um racismo implícito subjaz às noções ocidentais de cultura. Ele é velado, mas difundido” (YOUNG, 2002, p. 11).

Se as citações ocuparem mais de três linhas, elas deverão vir recuadas à esquerda em 4 cm, e não devem estar entre aspas, como no exemplo que segue.

Como lembram Mintz e Price, Os escravos eram legalmente definidos como bens; entretanto, sendo humanos, eram solicitados a agir de maneiras suficientes, articuladas e humanas: os escravos não eram animais, ainda que as barbaridades praticadas contra eles fossem desumanas. (MINTZ; PRICE, 2003, p. 45)

Notas de rodapé devem ter caráter explicativo e só podem ser utilizadas quando indispensáveis. Alguns modelos de referência:

LIMA, Vivaldo da Costa. A família-de-santo nos candomblés jêje-nagôs na Bahia. 1977. 132f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Salvador, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1977.

MBEMBE, Achille. As formas africanas de Auto-Inscrição. Estudos Afro-Asiáticos, ano 23, n. 1, 2001.

SANTOS, Jocélio Teles dos. Meninha do Gantois: a sacralização do poder. In.: SILVA, Vagner Gonçalves da (org.). Caminhos da Alma. Memória afro-brasileira. São Paulo: Summus, 2002.

YOUNG, Robert. Desejo Colonial. Hibridismo em teoria, cultura e raça. São Paulo: Perspectiva, 2002.

Artigos e ensaios devem apresentar a seguinte seqüência: título (caso necessário, nota explicativa não numerada, mas simbolizada); autor (nota simbolizada, mas não numerada, com informações sobre titulação e vínculo institucional); resumo (máximo de 10 linhas) e palavras-chave (máximo de 6 palavras), seguidos de suas respectivas traduções para o inglês e o espanhol; texto; referências.

Em relação às resenhas, serão aceitos textos referentes a obras editadas no Brasil e no exterior há no máximo 02 e 04 anos, respectivamente. As resenhas devem apresentar a seguinte seqüência: referência completa da obra, nome do resenhista, instituição a que pertence e texto.

As sínteses devem apresentar a seguinte seqüência: título da dissertação ou tese; nome do autor; especificação do nível (dissertação ou tese), palavras-chave (máximo de 6 palavras) e texto.

Em relação aos instrumentos de trabalho, a seqüência é a seguinte: título, palavras-chave (máximo de 6 palavras), apresentação esclarecendo a relevância e a procedência dos documentos, e texto.